RSS

Fábrica Weishaupt – Indaiatuba, SP

13 abr

Weishaupt – Uma indústria de origem alemã que fabrica queimadores para sistemas de aquecimento.

No Brasil, a Weishaupt conta com a linha de montagem, estoque, centro de distribuição, serviço de assistência técnica e escritórios no conjunto industrial instalado em Indaiatuba, cidade paulista a cerca de cem quilômetros da capital.

Fábrica Indaiatuba - Fachada envidraçada

São raras as vezes em que o cliente é tão ligado à linguagem estética quanto o próprio arquiteto.  O proprietário da Weishaupt é uma dessas exceções, e não só sabe valorizar os bons projetos, como tem seu nome associado à arte e ao design: é também dono de um museu de arte contemporânea na cidade de Ulm, na Alemanha.

A arquitetura também está entre as prioridades do industrial, que no início da década de 1990 escolheu o norteamericano Richard Meier (Pritzker de 1984) para projetar a sede da Weishaupt, em Schwendi, poucos quilômetros ao sul de Ulm.  E a mesma preocupação com a qualidade do projeto pode ser identificada na arquitetura das filiais pelo mundo.

Croqui e Foto

O projeto da unidade brasileira foi desenvolvido por Roberto Loeb e Luís Capote, que viajaram para conhecer outras instalações da Weishaupt antes de dar início ao trabalho.  “Na maioria das vezes não são exatamente fábricas, são mais unidades de montagem e distribuição. E aqui no Brasil também é assim”, descreve Loeb.

O conjunto é relativamente pequeno – soma cerca de 3 mil metros quadrados – e divide-se em três volumes principais dispostos em semicírculo e interligados por uma marquise curva de frente para a praça de acesso.

À direita da praça fica o edifício de escritórios, um pavilhão com dois pavimentos e estrutura de concreto.  Suas fachadas principais são envidraçadas, abertas para o vale e para a rodovia, enquanto as empenas laterais cegas apresentam revestimento com painéis de alumínio composto (ACM) na cor branca.

0100 planta

0101 planta

0102 planta

A logomarca recortada, instalada sobre o prédio, atrai a atenção e pode ser vista a distância.  Segundo Loeb, esse posicionamento repete a forma com que os alemães gostam de identificar suas empresas.  “No Brasil é mais comum ver as logomarcas sobrepostas às fachadas, mas na Alemanha eles normalmente as colocam em cima da construção”.

Fábrica Indaiatuba - Painéis de alumínio

Os interiores dos escritórios também são simples e adotam soluções funcionais, como piso de granito nas circulações, piso elevado revestido por carpete nas áreas de trabalho e forro modular acústico.

O volume central é a caixa com faces principais envidraçadas e empenas laterais em ACM branco. Com pé-direito de seis metros e ambientação high tech definida pelos equipamentos e dutos aparentes, ela concilia as funções de showroom e sala de testes.

Espartana, a edificação dispensa qualquer elemento sem função e tornou-se a principal referência arquitetônica do conjunto.

Fábrica Indaiatuba - Caixilhos metálicos

O edifício possui ainda subsolo com eficiente processo de exaustão para abrigar com segurança todos os sistemas necessários ao funcionamento dos queimadores, tais como geradores, tanques de gás e combustíveis.

À esquerda da praça, o terceiro volume é o galpão industrial, com estrutura de concreto e fechamento vertical e cobertura com telhas termoacústicas metálicas. Algumas telhas na vedação lateral são perfuradas, o que assegura vista para o exterior e ventilação cruzada constante, enquanto faixas translúcidas na cobertura oferecem iluminação natural ao interior.

O galpão se divide em área para recebimento de mercadorias, estoque, montagem, reposição e manutenção. O pé-direito elevado permitiu a criação de um mezanino para acomodar os escritórios dos técnicos, deixando todo o térreo disponível para as atividades operacionais. A laje de concreto do piso tem 20 centímetros de espessura e recebeu acabamento em epóxi.

As exigências quanto à facilidade de limpeza orientaram a escolha dos revestimentos nessa área, levando ao uso 1 de piso cerâmico no térreo e em epóxi cinza no subsolo.

As peças que a empresa fabrica combinam funcionalidade e design, binômio que as aproxima dos conceitos da escola de design de Ulm, a sucessora da Bauhaus.

Ficha Tecnica 2
Fonte:  PROJETODESIGN Edição 377 Julho de 2011 – Texto de Nanci Corbioli
Projeto: Roberto Loeb e Luís Capote – Escritório Roberto Loeb e Associados

LOGO 2013-00

 

Tags: , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: