RSS

Arquivo da tag: produtividade

Imagem

Projeto LP-2018 – Nichibras Ind. Com. Ltda.


 Nichibras Ind. Com. Ltda. – Filial Louis Pasteur – Embú das Artes – SP

  • Implantação do Edifício Administrativo

  • Liberação de Área p/ Ampliação da Capacidade Produtiva


 LP Rendered 110

 Planta Baixa do Pavimento Térreo

Área Útil = 238 m2  +  Pátio Expedição = 80 m2

lp-2018-002


Planta Baixa do Pavimento Superior

Área Útil = 238 m2

 lp-2018-003


Fachadas – Vista Frontal e Vista Lateral Direita

lp-2018-004


Imagens Renderizadas – Maquetes Eletrônicas

LP Rendered 112

Estilo Arquitetônico:  Mantida a identidade visual do Edifício Matriz

lp-2018-005


Vista em corte do Pavimento Superior

lp-2018-006


 Vista em corte do Pavimento Térreo

lp-2018-008


 Vista Lateral Direita com o Galpão Fabril anexo.

 

LP Rendered 21 170310-00

 


Projeto Arquitetônico: Arq. Sergio Nobre

LOGO 2013-02


 

 

 

 

Anúncios
 

Tags: , , , , , , , ,

Edifício Industrial – Unistamp – Jarinú, SP

Unistamp Metalúrgica Várzea Paulista – Projeto: Escritório Ópera Quatro Arquitetura.

Implantado na rodovia Edgard Máximo Zamboto, em Jarinu, SP, o projeto da planta industrial valeu-se das cotas mais elevadas do terreno em relação ao leito da estrada para valorizar a arquitetura, expressa sobretudo no edifício administrativo.

Aparentando estar encravado na colina, o bloco ocupado pelas áreas administrativas da metalúrgica Unistamp captura a atenção de quem por ali trafega.

Produtora de ferramentas para estampagem e revendedora de máquinas industriais (puncionadeiras, equipamentos de dobra e corte, prensas, entre outras), a empresa, constituída em meados da década de 1970, ocupa sua atual planta desde o primeiro semestre de 2011.

A expansão dos negócios em anos mais recentes levou a Unistamp dos galpões alugados em Várzea Paulista à vizinha Jarinu, onde os sócios adquiriram um terreno de 38 mil metros quadrados.

“Compramos uma montanha e a cortamos”, compara Marcel Pons Sparo, um dos diretores da companhia.  “O que nos interessava era uma solução que proporcionasse conforto e bem-estar para o trabalho”, afirma Sparo.

A sede da metalúrgica é composta por dois galpões que abrigam áreas operacionais (um deles armazena os equipamentos comercializados), um edifício administrativo e o refeitório.  Os galpões ficam nas laterais, o refeitório está na fração mais ao fundo e o prédio da administração se situa na porção frontal.

É no edifício administrativo que a arquitetura elaborada pelo Ópera Quatro revela-se na sua melhor forma. Ocupando espaço intermediário entre os dois galpões, o prédio foi posicionado em sentido paralelo ao curso da rodovia, reforçando sua visibilidade.

Investindo em uma linguagem que alterna saliências e reentrâncias na face do prédio voltada para a rodovia (onde metal e concreto reforçam a intenção), o projeto proporciona um expressivo e estimulante jogo volumétrico.

 

Fonte:
Texto de Adilson Melendez
Publicada originalmente em PROJETODESIGN
Edição 386 Abril de 2012

 

 

Tags: , , , , , , , ,

Automação: Construindo uma Linha Férrea

Preparação do Lastro, Colocação dos Dormentes e Instalação dos Trilhos


Contribuição: Valdir Guerra
Fonte: Youtube
 

Tags: , , , ,

A Metodologia 5S

O 5S surgiu no Japão no início dos anos 1950.

Na indústria, seus principais papéis são: liberar áreas, evitar desperdícios, melhorar relacionamentos, facilitar as atividades e localização de recursos disponíveis.

Trata de uma sigla formada pelas iniciais de cinco palavras japonesas. A metodologia 5S tem sido desenvolvida de forma eficaz e participativa nas empresas através de fundamentos de fácil compreensão e capacidade de apresentar resultados expressivos. Isso responde a questão daqueles que se perguntam: “por que cada vez mais empresas investem na aplicação dos 5S?” A resposta é simples: porque é uma ferramenta baseada em idéias simples e que podem trazer grandes benefícios para as empresas

1.º S – SEIRI – SENSO DE UTILIZAÇÃO

CONCEITO:

SEPARAR O ÚTIL DO INÚTI. ELIMINANDO O DESNECESSÁRIO

Também pode ser interpretado com Senso de Utilização, Arrumação, Organização, Seleção.

Nesta fase, o trabalho começa a ser colocado em ordem, para que só se utilize o que for realmente necessário e aplicável. Por isso, é importante ter o necessário, na quantidade adequada e controlada para facilitar as operações.

É essencial saber separar e classificar os objetos e dados úteis dos inúteis da seguinte forma:

  • o que é usado sempre: colocar próximo ao local de trabalho.
  • o que é usado quase sempre: colocar próximo ao local de trabalho.
  • o que é usado ocasionalmente: colocar um pouco afastado do local de trabalho.
  • o que é usado raramente, mas necessário: colocar separado, em local determinado.
  • o que for desnecessário: deve ser reformado, vendido ou eliminado, pois ocupa espaço necessário e atrapalha o trabalho.

Vantagens:

  • Reduz a necessidade e gastos com espaço, estoque, armazenamento, transporte e seguros.
  • Facilita o transporte interno, o arranjo físico, o controle de produção.
  • Evita a compra de materiais e componentes em duplicidade e também os danos a materiais ou produtos armazenados.
  • Aumenta a produtividade das máquinas e pessoas envolvidas.
  • Traz maior senso de humanização, organização, economia, menor cansaço físico e maior facilidade de operação.
  • Diminui riscos acidentais do uso destes materiais pelo pessoal.
  • Todos da equipe devem saber diferenciar o útil do inútil, o que é realmente necessário e o que não é!

2.º S – SEITON – SENSO DE ARRUMAÇÃO

CONCEITO: IDENTIFICAR E ARRUMAR TUDO, PARA QUE QUALQUER PESSOA POSSA LOCALIZAR FACILMENTE

 Também pode ser definido como Senso de Ordenação, Sistematização, Classificação,Limpeza.

O objetivo é identificar e arrumar tudo, para que qualquer pessoa possa localizar facilmente o que precisa e a visualização seja facilitada.

Nesta fase é importante:

  • padronizar as nomenclaturas.
  • usar rótulos e cores vivas para identificar os objetos, seguindo um padrão.
  • guardar objetos diferentes em locais diferentes.
  • expor visualmente os pontos críticos, tais como extintores de incêndio, locais de alta voltagem, partes de máquinas que exijam atenção, etc.
  • determinar o local de armazenamento de cada objeto
  • onde for possível, eliminar as portas.
  • não deixar objetos ou móveis no meio do caminho, atrapalhando a locomoção no local.

Vantagens:

  • Menor tempo de busca do que é preciso para operar, ler, enviar etc.
  • Menor necessidade de controles de estoque e produção.
  • Facilita transporte interno, controle de documentos, arquivos ou pastas, além de facilitar a execução do trabalho no prazo.
  • Evita a compra de materiais e componentes desnecessários ou repetidos ou danos a materiais ou produtos armazenados.
  • Maior racionalização do trabalho, menor cansaço físico e mental, melhor ambiente.
  • Melhor disposição dos móveis e equipamentos
  • Facilitação da limpeza do local de trabalho

A ordenação eficiente do material de trabalho deve ser implantada com uma nomenclatura padronizada e divulgada dos arquivos, pastas, documentos, salas, estoques etc e com a indicação correta do local de estocagem. As pessoas devem saber onde procurar cada coisa quando necessário e todos devem seguir as regras. É importante fazer uma análise da situação atual da instituição, como as coisas estão organizadas e onde. Sempre que possível, deve-se trabalhar para reduzir os estoques e definir qual o melhor local para guardar cada coisa.

A idéia principal nesta fase é:

“Um lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar.”

3.º S – SEISOU – SENSO DE LIMPEZA

CONCEITO: MANTER UM AMBIENTE SEMPRE LIMPO, ELIMINANDO AS CAUSAS DA SUJEIRA E APRENDENDO A NÃO SUJAR.

 Também pode ser definido como Senso de Zelo.

Cada pessoa deve saber a importância de estar em um ambiente limpo e dos benefícios de ambiente com a máxima limpeza possível. O ambiente limpo traduz qualidade e segurança.

O desenvolvimento do senso de limpeza proporciona:

  • Maior produtividade das pessoas, máquinas e materiais, evitando o retrabalho.
  • Evita perdas e danos de materiais e produtos.
  • Para isto, é importante que o pessoal tenha consciência e habitue-se a:
  • Procurar limpar os equipamentos após o seu uso, para que o próximo a usar encontre-o limpo.
  • aprender a não sujar e eliminar as causas da sujeira.
  • definir responsáveis por cada área e sua respectiva função.
  • manter os equipamentos, ferramentas etc, sempre na melhor condição de uso possível.
  • após usar um aparelho, deixá-lo limpo e organizado para o próximo utilitário.
  • cuidar para que se mantenha limpo o local de trabalho, dando atenção para os cantos e para cima, pois ali acumula-se muita sujeira
  • não jogar lixo ou papel no chão
  • dar destino adequado ao lixo, quando houver

Inclui-se ainda neste conceito, de um modo mais amplo, manter dados e informações atualizados, procurar ser honesto no ambiente de trabalho e manter bom relacionamento com os colegas. Tudo isto é fundamental para a imagem (interna e externa) da empresa.

4.º S – SEIKETSU – SENSO DE SAÚDE E HIGIENE

CONCEITO: MANTER UM AMBIENTE DE TRABALHO SEMPRE FAVORÁVEL A SAÚDE E HIGIENE.

Também pode ser definido como Senso de Asseio e Integridade.

Higiene é manutenção de limpeza e ordem. Quem exige qualidade cuida também da aparência. Em um ambiente limpo, a segurança é maior. Quem não cuida bem de si mesmo não pode fazer ou vender produtos ou serviços de qualidade.

O pessoal deve ter consciência da importância desta fase, tomando um conjunto de medidas, como:

  • Ter os 3S’s previamente implantados.
  • Capacitar o pessoal para que avaliem se os conceitos estão sendo aplicados realmente e corretamente
  • eliminar as condições inseguras de trabalho, evitando acidentes ou manuseios perigosos
  • humanizar o local de trabalho numa convivência harmônica.
  • difundir material educativo sobre a saúde e higiene.
  • respeitar os colegas como pessoas e como profissionais,
  • colaborar, sempre que possível, com o trabalho do colega.
  • cumprir horários,
  • entregar documentos ou materiais requisitados no tempo hábil.
  • não fumar em locais impróprios etc.

Ter a empresa limpa e asseada requer gastos com sistema e material de limpeza. Requer manutenção da ordem, da limpeza e principalmente disciplina. Cada membro da equipe deve ter consciência da importância de se trabalhar num local limpo e organizado.

As vantagens são:

  • melhor segurança e desempenho do pessoal.
  • prevenção de danos à saúde dos que convivem no ambiente.
  • melhor imagem da empresa internamente e externamente.
  • elevação do nível de satisfação e motivação do pessoal para com o trabalho.

Algumas medidas importantes e úteis nesta fase também podem ser: colocar avisos ou instruções para evitar erros nas operações de trabalho, bem como designações, avisos e identificação dos equipamentos (recursos visuais). Quando importantes, os avisos devem ser vistos à distância, bem destacados e acessíveis a todos do setor.

É importante nesta fase conferir se o programa está sendo realmente implantado, verificando cada etapa, se o pessoal está preparado e motivado a cumprir o programa.

5.º S – SHITSUKE – SENSO DE AUTO-DISCIPLINA

CONCEITO: FAZER DESSAS ATITUDES UM HÁBITO. TRANSFORMAR OS 5S NUM MODO DE VIDA

Atitudes importantes:

  • Usar a criatividade no trabalho, nas atividades.
  • Melhorar a comunicação entre o pessoal no trabalho.
  • Compartilhar visão e valores, harmonizando as metas.
  • Treinar o pessoal com paciência e persistência, conscientizando-os para a importância dos 5s’s .
  • De tempos em tempos aplicar os 5s’s para avaliar os avanços.

É importante cumprir os procedimentos operacionais e os padrões éticos da instituição, sempre buscando a melhoria.

A auto-disciplina requer a consciência e um constante aperfeiçoamento de todos no ambiente de trabalho. A consciência da qualidade é essencial.

Com o tempo, a implantação do programa traz benefícios como:

  • Reduz a necessidade constante de controle.
  • Facilita a execução de toda e qualquer tarefa/operação.
  • Evita perdas oriundas de trabalho, tempo, utensílios etc.
  • Traz previsibilidade do resultado final de qualquer operação.
  • Os produtos ficam dentro dos requisitos de qualidade, reduzindo a necessidade de controles, pressões etc.

ROTEIRO SUGESTIVO PARA IMPLANTAR O 5S

1ª etapa: equipe de implantação

Formada por 3 pessoas, no mínimo, de diferentes setores da instituição e 1 pessoa da alta administração. A equipe tem que ter disponibilidade para conduzir o processo, orientar, esclarecer dúvidas e fazer visitas rotineiras de acompanhamento.

2ª etapa: Planejamento

Equipe de implantação pode elaborar um cronograma, um plano de orientação, determinar as ferramentas que serão utilizadas e dividir as atividades. As tarefas e as responsabilidades devem ser distribuídas e todos devem se comprometer com os prazos de cumprimento.

3ª etapa: Fotos e registros

É importante registrar a situação atual da organização, em todas as áreas, especialmente onde forem percebidas necessidades de melhoria. Posteriormente, a equipe deve se reunir e discutir as falhas, as ações corretivas, dar sugestões de melhoria baseadas nas fotos. É importante a opinião de cada um, principalmente por que pertencem a áreas diferentes na empresa.

4ª etapa: Reunião

A equipe pode convidar o pessoal da instituição para uma reunião, compartilhar os dados e mostrar o compromisso e a disposição para implantar o método. Nesta reunião, a equipe pode iniciar o trabalho de conscientização do pessoal, da importância do programa 5S para a melhoria do trabalho. A equipe também pode explicar os objetivos do trabalho, mostrar as vantagens do programa e os benefícios.

5ª Etapa: Implantação

Após esta reunião de sensibilização do pessoal com a equipe responsável, o programa começa a ser efetivamente implantado. As responsabilidades são divididas de acordo com as áreas de trabalho, bem como os mapas de acompanhamento do trabalho. Em casa fase, o pessoal envolvido deve se reunir para definir as atividades, esclarecer as dúvidas, citar exemplos, etc. A interação da equipe com o pessoal envolvido é importante, para que não fiquem dúvidas a respeito do programa e para que tudo corra bem na fase seguinte.

6ª Etapa: Acompanhamento

A equipe organizadora planeja e se organiza para fazer visitas nas áreas de implantação com pelo menos um membro da equipe organizadora supervisionando a visita. Nas visitas, os quesitos necessários para a implantação do programa devem ser acordados, conforme a orientação do colaborador. Os pontos positivos, como os negativos devem ser apontados, pois o pessoal deve ser motivado a seguir as orientações. O ideal é que a equipe faça um mapa de acompanhamento mensal para verificar os benefícios, os resultados , as mudanças. É essencial que todos sigam o programa, desde os gerentes e diretores aos técnicos de apoio. Com o tempo, cada integrante vai diagnosticar a importância dos conceitos e de sua aplicação, tornando a metodologia um hábito no trabalho. Dessa forma, o sistema vai se consolidando, junto com o Sistema da Qualidade.

Os técnicos e funcionários novos, que forem se incorporando à empresa, também se habituarão a aplicar os conceitos, uma vez que entrarem num sistema já implantado. A gerência, setor ou empresa deve também se responsabilizar por planejar reuniões periódicas com os membros da equipe para verificar como está sendo seguida cada fase do programa e as melhorias que podem ser feitas. Isso garante a motivação em sempre manter o hábito da metodologia e a manutenção do programa sempre implantado. Os treinamentos dos membros da equipe, técnicos e funcionários, devem ser periódicos e o acompanhamento deve ser constante. Com os novos treinamentos, a equipe pode verificar os resultados, avaliações do pessoal, as melhoras e o que ainda pode ser feito. Também é uma oportunidade de reciclagem dos conhecimentos de cada um e harmonização da equipe.

PONDO EM PRÁTICA O MÉTODO 5S

1.º S – SEIRI – SENSO DE UTILIZAÇÃO

Cada pessoa deve saber diferenciar o útil do inútil. Só o que tem utilidade certa deve estar disponível. Dê atenção a tudo que estiver dentro de seu ambiente de trabalho (máquinas, ferramentas, estoques, móveis, papéis, etc.) e defina o que é necessário através de instruções claras para que todos possam separar o útil do inútil.

Algumas perguntas podem ser elaboradas para direcionar este processo:

1. O que pode ser jogado fora e o que deve ser guardado?

2. O que pode ser útil para outro setor ?

3. O que pode ser consertado ?

4. É possível trabalhar de forma mais econômica, racionalizando o tempo?

Após colocar em um local determinado aquilo que será descartado, convide as pessoas de outros setores para que escolham, entre os itens disponíveis, o que de fato lhes interessar.

2.º S – SEITON – SENSO DE ARRUMAÇÃO

Analisar como as coisas estão guardadas, onde e por quê. Arrumação é importante para agilizar o acesso aos documentos e outras coisas em seus devidos lugares. Administrar bem o patrimônio da instituição é essencial, principalmente no que se refere a organização e identificação de:

  • Laudos,
  • Relatórios,
  • Atas,
  • Documentos em geral,
  • Pareceres,
  • Dados estatísticos,
  • Arquivos e pastas de documentos.

Sempre que possível, eliminar ou diminuir o processo burocrático de ações ou documentos, procurando aproveitar o tempo e economizar trabalho desnecessário. Cada um deve ficar responsável pelo seu espaço, sem prejudicar o espaço do outro. Sempre deve-se questionar se algo está bom o suficiente ou se é possível ser melhorado.

Para haver corretas armazenagem organização e identificação de estoques e utensílios de trabalho, devem ser feitas algumas perguntas:

1. É possível reduzir os estoques ?

2. O que está à mão precisa mesmo estar ali ?

3. Os nomes das coisas estão padronizados ?

4. Qual o melhor local para cada coisa e por que?

5. O que é necessário está à mão?

3.º S – SEISOU – SENSO DE LIMPEZA

Levante sugestões para a melhoria e limpeza do local de trabalho. Marque, se possível, o dia da limpeza definido, para que todos se organizem. É importante que todos participem, fazendo a limpeza básica em conjunto, jogando papéis fora, fazendo pequenos consertos etc. Compartilhe idéias com os colegas, discuta as alternativas propostas e valorize o trabalho de cada um.

O que deve ser verificado e avaliado para elaboração de um ambiente organizado e propício, com a metodologia 5S implantada:

1. Apresentação dos funcionários – devem se apresentar com boa aparência usando trajes limpos, não rasgados.

2. Piso e área externa ao setor (corredores) devem estar limpos, secos e organizados, sem acúmulo de materiais e sucatas, devem possuir linhas demarcando as áreas de circulação.

3. Higiene – o ambiente deve estar limpo, sem acúmulo de materiais orgânicos ou inorgânicos. Deve estar livre também de materiais/ equipamentos que provoquem contaminação química. O pessoal deve cuidar da higiene pessoal e usar os devidos equipamentos de segurança (onde aplicáveis), para garantir a integridade física. É importante também o cuidado com as máquinas, aparelhos, equipamentos e utensílios.

5.º S – SHITSUKE – SENSO DE AUTO-DISCIPLINA

As dicas de prática do método 5S devem tornar-se hábitos na instituição, entre os funcionários, em todos os setores para que o programa seja mantido e o controle fique mais fácil. Em cada etapa, é essencial que o método seja verificado, a implantação tem que estar em constante verificação; isto também e importante para a próxima fase, pois são todas interligadas.

A última etapa de uma série é o ponto de partida para a primeira etapa da próxima. A fase de auto-disciplina, principalmente é uma das mais importantes e cruciais do programa, pois é a fase em cada um dos envolvidos terá que desenvolver seu próprio senso de ordenação e assumir o compromisso com a metodologia.e com suas atividades. Cada um fazendo a sua parte contribui para o desenvolvimento de todo o programa e a manutenção da qualidade. Cada um deve estar ciente de suas responsabilidades, ter suas funções definidas e ser treinados para que haja eficiência na prestação dos serviços, segurança no local de trabalho e incentivo à capacidade criativa.

CUSTO DE IMPLANTAÇÃO DO MÉTODO 5S

O custo para a implantação do programa não é alto e os recursos podem ser alocados do orçamento da empresa ou do setor. De acordo depoimentos de instituições em que com o método já foi implantado ou está em implantação, não houve dificuldades para o custeio ou necessidades de compra excessiva de itens. Algumas fases podem ter o custo mais elevado que outras, o que dependerá também do número de pessoas envolvidas no processo, do nível de compromisso da equipe,da estrutura física e da situação atual da empresa. Quanto mais rápido o pessoal se mobilizar para implantar o programa e se dedicar, menores serão tempo e gastos para implantar.

IDÉIAS PRINCIPAIS DO MÉTODO 5S

  • ‘Se você sabe e não faz, é como se você não soubesse.”
  • “Os três primeiros S, ou seja, as 3 primeiras fases, são a base para o sucesso daimplantação do programa.”
  • “Ordenar é identificar.”
  • “O ambiente mais limpo não é o que mais se limpa, e sim o que menos se suja.”
  • “Organização do pessoal reflete organização do ambiente.”
  • “Todo o trabalho tem de ser feito em equipe.”
  • “ A tolerância também é uma ferramenta de trabalho, desde que usada na medida certa.”

Bom Uso !

Fonte: Nelson Rosamilha
 

Tags: , , , , , ,

Alta da Produção Industrial não anula Perdas Acumuladas

Apesar do ganho de 0,5% em junho e julho, a produção acumulou queda de 2% de março a maio, o que ainda gera um saldo negativo.

RIO DE JANEIRO – O segundo aumento consecutivo na atividade industrial, registrado em julho ante o mês anterior, foi considerado um ligeiro ganho de produção pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mas o crescimento não foi suficiente para recuperar perdas acumuladas nos três meses anteriores.

“Esse segundo mês seguido de alta (da produção industrial) faz com que a indústria acumule um ganho de 0,5%. Mas, mesmo com essa recuperação, a produção acumulou queda de 2,0% de março a maio. Então, ainda há um saldo negativo”, apontou André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE.

A recuperação na margem está ligada à retomada da fabricação de automóveis e de outros segmentos beneficiados pela redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). “Esses resultados positivos na série estão ligados aos resultados de bens de consumo duráveis, como veículos automotores, eletrodomésticos da linha branca e bens de mobiliário”, explicou Macedo.

A produção de bens de consumo duráveis aumentou 0,8% em julho ante junho. Outro destaque foi a fabricação de bens de capital, com aumento de 1,0% no mesmo período.

Daniela Amorim e Gustavo Porto, da Agência Estado.
 
Deixe um comentário

Publicado por em 13/10/2012 em Infraestrutura

 

Tags: , , , ,

 
%d blogueiros gostam disto: